Memórias de Ruy Castelar

Muito recentemente, Ruy Castelar publicou um texto delicioso sobre a cultura musical e radiofónica da década de 1960. Adapto aqui o texto, porque ele contextualiza muito bem essa época.

“Estou a falar para quem nasceu e viveu num bairro popular (anos 60) e assistiu aos espetáculos da APA no Éden, e o “Comboio das Seis e Meia” no Politeama, em Lisboa, transmitidos pela rádio (ainda não havia televisão), quando o noticiário mais importante da rádio era o “Jornal Sonoro” na extinta Emissora Nacional, aos domingos à uma da tarde, onde “moravam” o Zequinha e a Lelé, quando não saíamos à rua sem o fato e a gravata, quando usávamos brilhantina, quando frequentávamos os bailes nas coletividades de recreio, dançávamos o “Fox a Prémio”, às vezes ganhávamos uma taça e arranjávamos uma namorada e rodopiávamos ao som de uma “trupe”, onde se destacavam os Otimistas, os Fatalistas, os Loucos do Ritmo, etc. Tudo instrumentos de corda, uma bateria e um vocalista. Todos vestidinhos de igual. Da gravata ao sapatinho. As meninas sentadas ao redor da sala, sob o olhar atento das mamãs e os “garanhões” a pedir para dançar quando começava a música. Três músicas, depois a banda descansava. Mas nem tudo era um mar de rosas. Quase sempre e quando os bailarinos não esperavam, a música parava, um diretor da coletividade vinha ao microfone e anunciava “Damas ao Bufete”. Era o drama. Os cavalheiros eram quase obrigados a levar as damas ao bar da coletividade e pagar um “Lanchinho”. Normalmente elas não pediam mais do que uma laranjada e um queque ou um bolo de arroz. Só que este “banquete” chegava a custar 25 tostões. E nem todos tinham. Havia um “truque” que eu muitas vezes utilizava. Combinava com o respetivo diretor e ele avisava-me do “drama”. O resto era fácil. Não dançar essa música”.

Recorte: Diário Popular, 27 de janeiro de 1968


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search